top of page

FITIASP participa de ato contra os juros altos

Hoje (01), às 10h, o presidente da FITIASP, Paulão, esteve presente em um ato contra os juros altos que foi realizado em frente ao Banco Central que está localizado na Avenida Paulista, em São Paulo.


O objetivo é protestar contra a taxa de juros que está em 13,75%. O ato ocorre no mesmo dia em que o Comitê de Política Monetária (Copom), realizará sua reunião para definir a taxa básica de juros.

“Para quem interessa juros tão altos? Com certeza não é para o povo trabalhador que constantemente precisa de crédito junto aos bancos para construir, comprar sua casa ou mesmo adquirir um veículo, juros altos destroem sonhos, causam desemprego e prejudicam toda a economia do país, isso é injusto” - Paulão (Presidente da FITIASP)


Taxa Selic


No Brasil, a taxa Selic é a taxa básica de juros da economia. É o principal instrumento de política monetária utilizado pelo Banco Central do Brasil para controle da inflação.


A luta da FITIASP


Hoje, buscando tornar melhor a vida dos milhares de trabalhadores e trabalhadoras, a FITIASP destaca uma de suas principais bandeiras de luta, a redução da jornada de trabalho sem redução do salário.

A redução, que prevê sair das atuais 44 horas para 40 horas, não só apresenta inúmeros benefícios para a saúde e o bem-estar dos trabalhadores como também representa um importante avanço em prol de uma economia melhor; diferente do que o patronal imagina, uma semana com menos horas de trabalho não gera prejuízo, mas amplia a possibilidade de continuar gerando lucro por ter trabalhadores e trabalhadoras mais descansados, tanto fisicamente quanto mentalmente.


Uma rotina com menos horas de trabalho garante uma maior segurança na execução das atividades, reduz os níveis de estresse e garante um maior nível de satisfação de todos aqueles que geram lucro para as empresas como funcionários.


“A FITIASP e seus sindicatos filiados há muito tempo já apresenta esse ponto da redução da jornada sem redução no salário nas pautas de negociações; o patronal com certeza não gosta e sempre tenta desqualificar esse ponto, mas entendemos que tudo o que vem para melhorar a vida dos trabalhadores sempre enfrenta resistência, houve resistência quando foi implantado o salário mínimo, há resistência quando lutamos por uma PLR justa e também quando apontamos a necessidade do fornecimento do vale-alimentação ou refeição no local de trabalho, mas nem por isso devemos desistir ou ceder, a missão dos sindicatos filiados e continuar insistindo nessa luta e a nossa missão, como federação, é apoiar incessantemente!” - Paulão (Presidente da FITIASP)

Fortaleça seu sindicato!



Comments


bottom of page